Blog

6 equívocos e uma verdade sobre psicanálise

“Se é pra conversar, você fala com seus amigos e resolve”. “Ah, só ficar de papo furado não adianta nada”. Provavelmente você já ouviu estas frases de alguém quando cogitou a possibilidade de fazer análise.

O fato é que ainda há muitos mitos relacionados à atividade de psicanálise. Estes conceitos equivocados, por muitas vezes, acabam fazendo com que a pessoa que possui um problema tratável nunca coloque os pés em uma clínica.

Abaixo listamos 6 equívocos sobre a psicanálise que precisam ser desfeitos e uma verdade que pode te ajudar (ou a uma pessoa com a qual você se preocupa) a decidir procurar um psicanalista.

1- O psicanalista nunca fala durante a sessão

Por mais que o comportamento de um psicanalista possa variar em relação a outro, há momentos de intervenções, interações, indagações para que o profissional desenvolva seu trabalho.

2- É preciso fazer terapia durante muitos anos

Cada paciente tem sua história e ritmo, portanto, a duração é variável.

3- A análise é um tratamento caro

No passado a psicanálise esteve associada à elite, mas isso tem mudado ao longo do tempo. Hoje a profissão é muito mais democratizada. De qualquer modo observa-se que não fazer análise pode implicar em custos mais elevados com perda de produtividade, sofrimento, inibições, afastamentos etc.

4- O paciente fala o tempo todo do passado, da mãe e do pai

Em parte do tempo, isso acontece. Mas a análise é muito mais profunda que apenas abordar o passado. Pelo contrário, abordar situações cotidianas recentes na análise ajuda terapeuta e pacientes a se conectarem, além de contextualizar situações importantes para o tratamento.

5- Tudo tem a ver com sexo

Sim e não. Para Freud, sexo no sentido estrito das relações sexuais, da sexualidade genital, popularmente conhecida, é apenas um dos aspectos da sexualidade humana. Para ele, sexo e sexualidade estão relacionados à energia pulsional que põe a vida humana em movimento; logo, o sentido que Freud dá a sexo é muito mais amplo e complexo, remetendo a tudo aquilo que nos movimenta e mobiliza; refere-se à força que movimenta e anima todas as nossas relações com o mundo.

6- O psicanalista interpreta os sonhos

Assim como as expressões, os assuntos e até mesmo as palavras escolhidas pelo paciente, os sonhos são aspectos que o ajudam a fazer suas próprias interpretações, descobrir coisas por si só. O analista apenas facilita e ajuda neste processo. Assim, não se trata de oráculo, algo místico, nem nada disso.

 

Uma verdade sobre psicanálise

A Psicanálise foi criada com dois propósitos: constituir um modelo de abordagem e estudo do funcionamento da complexa psique humana e o de nos ajudar a conviver melhor com os sofrimentos e dificuldades que não podemos evitar.

Sim, a Psicanálise propõe nos ajudar a identificar quais sofrimentos e dificuldades podemos evitar e quais fazem parte de nossa natureza, com as quais temos que aprender a conviver.

Gostou deste conteúdo?

Então não vai embora. Fique Entrenós e receba nosso conteúdo regularmente. Aproveite e agende uma entrevista.

 

Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência.